domingo, 9 de agosto de 2009

Um Improviso ao Meu Amor...




Eu sou uma mulher criança que preciso de muito carinho.
Sou apenas uma mulher que sonha e ama,
Sofre e chora, ama e namora.
Sou uma mulher que foi enclausurada,
Queria tudo e não tinha nada.
Queria amar e me sentir amada.
Sou uma mulher criança,
Que brinco, sofro e danço.
Sou uma mulher enfeitiçada,
Que a vida prometeu muito,e não deu quase nada.
Sou o que sou, e quero o que não tenho.
Sou como o vento que bate em desalinho.
Sou uma sonhadora de viver
Vivo de sonhos porque se eu não sonhar,posso vir a morrer.
O tempo passou e encontrei você, o meu sonho dourado...
Que só existia em prosa e verso
E hoje é por mim amado.
Mas sou uma triste mulher alegre com vontade chorar
A alegria me contagia, porque voltei a amar.
E sou menina ainda que requer atenção
Porque sonho ser amada por você
E vivo na contemplação.

Sonho.... Sou criança... Sou mulher!

Rô Lopes

Um comentário:

Neneca disse...

Que belo Blog Rô!
As poesias de vocês são puramente amor, emoção e cumplicidade.
Parabéns!
Beijos, Neneca.