terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Ainda Há Tempo


As páginas do livro da minha vida escritas
Tem algumas folhas em branco
Foram as oportunidades que por medo perdi
Quero preenche-las agora com encanto

Tanta página em branco no livro da minha vida
Tanto amor, sonhos e anseios deixei para trás
Quero reaver este tempo perdido no agora
Porque o tempo passado é inimigo
É algoz da existência não volta jamais

Que fazer com este livro com páginas salteadas
Porque o que foi escrito não tem como mudar mais
O que ficou em branco está sendo preenchido
Páginas escritas não tem números tem muitos ais

Felicidade que meu livro está sendo completado
Nenhuma página ficará em branco alarido
Cometerei as loucuras que me pede a alma
Para que não arrependa do que não tenha vivido

Por medo... Covardia
Páginas brancas...
Sendo preenchidas
Ainda há tempo!

Rô Lopes

3 comentários:

Sandra disse...

Achei maravilhosa estga poesia sobre o livro da vida.
Nossa vida é assim. Temos que escreve-las aos poucos, tendo sempre o cuidado para não deixar rasuras profundas. Até podemos passar a borracha em alguma coisa, mas rasurar, jamais. Marcas ficam e depois é dificil de serem apagadas.
Valeu
Sandra

Sandra disse...

Você pode vim me visitar. ficarei feliz em recebe-lo(a) em meu blog.
Bay
Sandra

mercia disse...

Achei muito lindo esta poesia Ainda Há tempo, sempre acredito nestas palavras, e procuro agir assim. Parabens! Te amo Bjinhos